James Thompson, na primeira corrida, e César Campaniço, na segunda, foram os vencedores da Taça Europeia de Carros de Turismo.

 

James Thompson (Honda Accord), na primeira corrida, e César Campaniço (BMW 320is), na segunda, foram os vencedores da Taça Europeia de Carros de Turismo (FIA ETCC), que cumpriu a primeira jornada do ano em Braga, em mais uma organização do Clube Automóvel do Minho.

Num domingo, onde as condições meteorológicas ajudaram, o público também esteve presente, vivendo bons momentos deste início de temporada do ETCC, mas também das quatro competições nacionais presentes.
James Thompson (Honda Accord) foi o vencedor da primeira corrida desta FIA ETCC, depois de liderar da primeira à última volta. O piloto britânico começou assim da melhor maneira a defender o título alcançado o ano passado. Para as posições seguintes houve muita luta, com algumas trocas ao longo das 17 voltas. César Campaniço (BMW 320is), subiu ao segundo posto logo na segunda volta, tendo atrás de si, na altura, o dinamarquês Kristian Poulsen (BMW 320is) e o sueco Tomas Engstrom (BMW 320is). Com sete voltas cumpridas, Poulsen, consegue passar Campaniço, depois deste ter tentado chegar a primeiro. A cinco voltas do final, em virtude de alguns toques entre os interessados no segundo lugar, Campaniço veio a cair para quarto e Engstrom subiu para segundo, posições que não mais foram alteradas até final.
Na segunda corrida, com a grelha de partida invertida em relação aos primeiros 8 classificados da primeira, o turco Ibrahim Okyay (BMW 320is), começou por liderar, mas Campaniço estava muito forte e passadas quatro voltas estava no comando da corrida. Até final conseguiu a concentração máxima para levar de vencida a prova. A quatro voltas do final, Poulsen ainda subiu a segundo, enquanto, desta vez, Thompson, fechou as presenças no pódio. Em termos globais da Taça ETCC, Thompson levou o maior número de pontos, Campaniço, ficou com a segunda posição e Poulsen, com a terceira.

A primeira corrida do Campeonato de Portugal de Circuitos (PTCC), teve em José Monroy (Mitsubishi) um vencedor mais ou menos descansado, pois arrancou da primeira posição e por lá se manteve até ver a bandeira de xadrez. O piloto de Lisboa apenas teve que manter a concentração, controlando o andamento dos seus adversários, neste caso de Nuno Batista (Seat Leon), que foi sempre o segundo classificado. António João Silva (Seat Leon), fechou as presenças no pódio, depois de rodar sempre no terceiro posto.

Na segunda, com a grelha de partida invertida em relação à classificação da primeira, não foram necessários muitos metros para José Monroy, apesar de sair em último, ascendesse ao comando. A partir daí fez uma corrida solitária e venceu com naturalidade. Desta vez, António João Silva, foi segundo, terminando na frente de Nuno Batista (Seat Leon), que tudo tentou para chegar a segundo.

O Campeonato de Portugal de GT e Sport Protótipos, cumpriu este domingo a sua segunda corrida, mas desta vez foi a dupla José Pedro Fontes/Diogo Castro Santos (Aston Martin), a levar a melhor no final dos 60 minutos de prova. Com Santos aos comandos no primeiro turno, começaram a liderar a prova e apenas perderam o comando na altura da troca de pilotos. Já com Fontes ao volante, conseguiram sempre manter a dianteira até à bandeira de xadrez. Numa primeira fase, a dupla Patrick Cunha/José Carlos Ramos (Lamborghini Gallardo), com Cunha aos comandos, conseguiu sempre rodar na segunda posição, mas na parte final perderam o lugar intermédio do pódio para António Coimbra/António
Nogueira (Porsche 911 Turbo), com Nogueira a efectuar o último turno de condução.

Aproveitando muito bem o facto de partir da primeira linha da grelha, depois de ter vencido a primeira corrida no sábado, Victor Araújo (Datsun 1200), levou de novo a melhor na segunda do Campeonato de Portugal de Clássicos 1300. O piloto, que joga em casa, arrancou muito bem e colocou-se na frente.

Numa primeira fase, Carlos Abreu (Alfa Romeo), foi o seu perseguidor, mas a poucas voltas do final, Rui Azevedo (Ford Escort), ascendeu ao segundo posto, ele que arrancou das últimas posições. Logo a seguir, e em virtude de óleo derramado na pista, entrou o “Safety‐Car” e, volvidas mais três voltas, a corrida terminou.

Por fim, no Campeonato Nacional de Clássicos, Luis Barros (Ford Escort), que já tinha ganho a primeira corrida disputada no sábado, impôs-se de novo, liderando da primeira à última volta. Joaquim Jorge bem tentou chegar à frente, mas os seus esforços não tiveram êxito. Carlos Santos fixou-se no degrau mais baixo do pódio em que terminou a corrida, repetindo a posição de sábado.

Assine Já

Edição nº 1460
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes